“O desafio foi apresentar a história do cinema de forma dinâmica para os adolescentes e  produzir um filme sobre sua rotina”. Fábio Ventura – educador.

No último trimestre, as oficinas de teatro na Fundação CASA de Batatais foram realizadas ações para ampliar os conhecimentos dos adolescentes sobre a história do cinema, com a proposta da produção de um curta metragem com foco no processo de desenvolvimento de opiniões.  Nesse ciclo foi explorada a história do cinema e como esta arte evoluiu até os dias de hoje. “Analisamos os contextos dos filmes, e a partir disso fomentamos opiniões, levando em consideração aspectos sociais, políticos, econômicos, demográficos, culturais, e outros”, explica o arte-educador Fábio Ventura.

Durante as oficinas os jovens assistiram filmes de grandes diretores do cinema como Kubric, Baz Luhrmann, James Cameron, Meirelles e Tarantino. Após cada filme foram realizadas rodas de conversa onde os adolescentes expuseram suas opiniões sobre o filme nas mais diversas camadas, como técnica, feitos visuais, interpretação, direção,  roteiro e aproximação. Essa última, segundo o arte-educador, é uma técnica que consiste analisar a história a partir de uma identificação muito pessoal.

No último ciclo de oficinas de arte, foi produzido um filme documental que aponta a opinião da sociedade sobre o sistema socioeducativo, e a visão dos adolescentes sobre o sistema, qual sua rotina e suas experiências. “O trabalho visa analisar também a visão de todos que estão envolvidos no processo de socioeducação. Precisamos entender onde estão os pontos fortes e fracos do  processo para que possamos ter um índice menor de reincidência”, finaliza Ventura.

As fotos em preto e branco, foram captadas no Centro de Atendimento de Batatais, e serviram de ponto de partida para discussão sobre os diversos olhares dos jovens em cumprimento de medida socioeducativa, além de composição estética no documentário intitulado Olhares, que está em processo final de edição e montagem.