Câncer de Ovário

O Ovário

Os ovários são as glândulas reprodutivas das mulheres. Produzem os óvulos, que são transportados pelas tubas uterinas (trompas de Falópio) para o útero, onde são fertilizados começando assim o desenvolvimento do feto. Além disso, os ovários são a principal fonte produtora dos hormônios femininos (estrogênio e progesterona). Os ovários estão localizados na pelve, um de cada lado do útero.

Os ovários contêm três tipos principais de células:

  • Células epiteliais, que revestem o ovário.
  • Células germinativas, que são encontradas no interior do ovário. Estas células se desenvolvem nos óvulos que são liberados nas trompas de Falópio mensalmente, durante os anos reprodutivos da mulher.
  • Células do estroma, que formam o tecido de suporte estrutural e que produzem a maior parte dos hormônios femininos.


De cada uma dessas células pode se desenvolver num tipo diferente de tumor:

  • Tumores epiteliais.
  • Tumores de células germinativas.
  • Tumores estromais.


A maioria destes tumores é benigna e são tratados com a remoção do ovário ou a parte do ovário que contém o tumor. Os acheter viagra sans ordonnance tumores ovarianos malignos podem se disseminar (metástase) para outras partes do corpo. 

Sobre o Câncer de Ovário

O câncer de ovário é considerado o câncer ginecológico mais difícil de ser diagnosticado, uma vez que a maioria dos tumores malignos de ovário só se manifesta em estágio avançado. É o câncer ginecológico mais letal, embora seja menos frequente que o câncer de colo do útero. 
O câncer de ovário pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas acomete principalmente as mulheres acima de 40 anos, são tumores de crescimento lento com sintomas que levam algum tempo para se manifestarem. O quadro clínico não é muito específico e pode se manifestar com dor abdominal difusa, isto é, que se apresenta em vários locais,  constipação, aumento de volume do abdome e desconforto digestivo ou dispepsia.
Existem três tipos principais de tumores de ovário:

  • Tumores Epiteliais. Começam a partir das células que cobrem a superfície externa do ovário. A maioria dos tumores ovarianos são de células epiteliais. 
  • Tumores de Células Germinativas. Começam a partir das células que produzem os óvulos. 
  • Tumores Estromais. Começam a partir de células que formam o ovário e que produzem os hormônios femininos; estrogênio e progesterona.
    A maioria destes tumores é benigna e não se dissemina para além do ovário. Os tumores benignos podem ser tratados mediante a remoção de um dos ovários ou a parte do ovário que contém o tumor.
    Os tumores malignos podem se disseminar (metástase) para outros órgãos e podem ser fatais.

Prevenção do Câncer de Ovário

Prevenção de doenças é o diferimento ou eliminação das condições específicas de uma doença através de intervenções de eficácia comprovada.
A prevenção do câncer de ovário é a ação tomada para reduzir a chance de contrair a doença. Portanto, prevenir o câncer de ovário significa evitar os fatores de risco que aumentam as chances de desenvolver a enfermidade. 
Parte da carga de prevenção do câncer de ovário encontra-se com o indivíduo, que deve adotar comportamentos que minimizem o risco e ocorrência da doença, e maximizem os estados de saúde.

Diagnóstico do Câncer de Ovário

Alguns sinais e sintomas podem sugerir que uma pessoa tenha câncer de ovário, mas será necessária a realização de exames complementares para confirmar o diagnóstico.


Histórico Clínico e Exame Físico

Durante a consulta o médico fará perguntas sobre seu histórico clínico e de seus familiares próximos. Ele também perguntará sobre possíveis fatores de risco e sintomas para avaliar se algo possa sugerir um câncer de ovário.

O exame físico fornece informações sobre sua saúde geral, possíveis sinais de câncer de ovário, e outros problemas de saúde. No exame pélvico, o médico procurará sentir algum aumento no ovário e sinais de líquido no abdome (ascite).

Se o exame ginecológico e outros exames sugerem que você possa ter câncer de ovário, será necessário consultar um médico especialista. Qualquer pessoa com suspeita de câncer de ovário deve consultar um oncologista para definir as condutas mais indicadas para o caso. 

 

Tratamentos do Câncer de Ovário

Após o diagnóstico e estadiamento da doença, o médico discutirá com a paciente as opções de tratamento. Dependendo do estágio da doença e alguns outros fatores, as principais opções de tratamento para pacientes com câncer de ovário podem incluir a cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia alvo. Em muitos casos, mais do que um desses tratamentos ou uma combinação deles podem ser utilizados.

Alguns fatores podem ser decisivos na escolha do tipo de tratamento, como estado geral de saúde, se a paciente planeja ter filhos, além de outras considerações pessoais.

Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como cirurgião, oncologista e radioterapeuta.  Mas, muitos outros poderão estar envolvidos durante o tratamento, como, ginecologistas, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais e psicólogos.
É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.

Pensando em participar de um estudo clínico. Em alguns casos, podem ser a única maneira para ter acesso a novos tratamentos. Ainda assim, estudos clínicos podem não ser adequados para todos. Se você quiser saber mais sobre os estudos clínicos que podem ser adequados para você, converse com seu médico.
Considerando métodos complementares e alternativos. Estes métodos podem incluir vitaminas, ervas e dietas especiais, ou outros métodos, como acupuntura ou massagem. Os métodos complementares se referem a tratamentos usados junto com seu atendimento médico regular. E os tratamentos alternativos são usados em vez do tratamento médico. Embora alguns destes métodos possam ser úteis para aliviar os sintomas ou ajudar você a se sentir melhor, muitos não foram comprovados cientificamente e não são recomendados. Converse com seu médico antes de iniciar qualquer terapia alternativa.

Fonte:  Instituto ONCOGUIA